Postos BR abrem segunda fase do carregamento de elétricos no Brasil

Estrutura se torna cada vez mais profissional — e comercial, com cobrança

O primeiro de uma série: Roseira, SP.

“Treino é treino e jogo é jogo. Agora nós estamos entrando no jogo.” Foi com essa metáfora futebolística que o presidente da Vibra Energia, Wilson Ferreira Junior, resumiu o início das atividades do serviço de carregamento rápido de veículos eletrificados nos postos Petrobras, marcado pela inauguração, na quinta-feira, 30 de junho, do primeiro equipamento do gênero, instalado no Posto Arco Íris, em Roseira, São Paulo, km 82 da Via Dutra, que liga São Paulo ao Rio de Janeiro.

A Vibra Energia é desde o ano passado o novo nome da BR Distribuidora, iniciativa que marcou a venda, pela Petrobras, de sua fatia restante na empresa. A Vibra é nada menos do que a maior distribuidora de combustíveis do País. Além de uma rede de mais de 8 mil postos de bandeira BR controla as operações da Lubrax, líder de mercado em lubrificantes, BR Mania, de lojas de conveniência, e BR Aviation, de abastecimento de aeronaves.

Quando uma gigante desse porte entra no mercado de carregamento de veículos elétricos pode-se ter a certeza de que a coisa é séria, seríssima. E que esta atividade, no Brasil, já deixou de ser vista e tratada como experiência.

“Queremos atender o cliente da forma que ele precisar, seja ele proprietário de um veículo a gasolina, etanol, flex, diesel, híbrido ou elétrico. Estamos, a partir de agora, prontos para isso”, explicou Wilson.

Durante a inauguração o equipamento do posto Arco Íris foi considerado o primeiro carregador rápido instalado em um posto Petrobras em estradas do País, ainda que na prática não o seja: há, por exemplo, o do Posto Angeloni, na BR 101 em Porto Belo, SC, onde o equipamento fica inclusive no meio das tradicionais bombas de gasolina, etanol e gás natural. Ali o carregador é iniciativa da Copel, distribuidora local de energia, e faz parte do corredor elétrico catarinense. Este carregador foi inclusive utilizado pela reportagem do Use Elétrico por duas vezes durante a viagem de carro elétrico São Paulo-Buenos Aires-São Paulo (veja em https://useeletrico.com/2022/05/26/viajamos-5-mil-km-de-carro-eletrico-por-brasil-uruguai-e-argentina/).

Mas aí entra a questão do treino citado por Wilson. “As iniciativas ocorridas até agora por concessionárias de energia e órgãos como a Aneel foram importantes para testar o sistema, a demanda, o impacto na rede etc. Cumpriram uma necessária etapa de pesquisa e desenvolvimento. Mas são sistemas que não fazem cobrança.”

Essa é a grande diferença e o maior significado do eletroposto de Roseira. O carregamento de elétricos já passou a ser visto no Brasil não mais como um favor ou um mero impulso do mercado, mas sim como um verdadeiro negócio, o que é benéfico para o consumidor. O serviço será cobrado mas junto virá um sistema conectado e de manutenção e atendimento profissionais e dedicados, aumentando a segurança de quem tem um veículo elétrico ou híbrido, que não terá surpresas como dar de cara com um carregador que não está funcionando no meio de uma viagem e sem outro equipamento próximo.

Rodrigo de Almeida, vice-presidente da Abravei, associação que representa os proprietários de veículos eletrificados, faz coro a esse raciocínio. “O cliente não quer carregamento grátis. Ele prefere pagar quando isso representar a garantia de uma infra-estrutura com bom funcionamento.”

O plano inicial da Vibra é instalar 70 carregadores rápidos de 150 kW iguais ao de Roseira (CCS2, CHAdeMo e AC tipo 2 de 43 kW) até o fim de 2023, sendo 50 em estradas e 20 em cidades. Pelas contas da Vibra, juntos eles criarão o maior corredor elétrico do Brasil, com 9 mil km de extensão, conectando sete estados das regiões Sul e Sudeste, além de cidades de outras regiões, como Brasília.

Isso, entretanto, ainda é pouco, bem pouco, perto da meta total traçada pela empresa: instalar carregadores em pelo menos 25% da rede de postos Petrobras até 2030. São, portanto, mais de 2 mil postos, o que representaria um ritmo médio anual de mais de trezentos carregadores instalados por ano de 2024 a 2030. Atente para a particularidade de que o próprio presidente da Vibra considerou a meta conservadora: “É um processo que crescerá em progressão geométrica”.

A iniciativa da Vibra ocorre em parceria com a EZVolt, que será responsável pela instalação e manutenção dos equipamentos, bem como pela integração do sistema com o aplicativo Premmia, programa de relacionamento da rede de postos Petrobras. Em breve o pagamento ocorrerá pelo app, que também terá um planejador de viagens.

O carregamento será gratuito pelo menos durante os primeiros noventa dias de operação em Roseira, e clientes cadastrados no Premmia que o utilizarem ganharão pontos multiplicados por dez.

Bem, e quanto custará a recarga? Wilson Ferreira Jr. disse que os valores ainda não estão definidos, mas é certo que a tarifa será única, ou seja, não irá variar de posto para posto como ocorre com os combustíveis tradicionais.

O presidente da Vibra revelou ainda que a empresa tem estudos para utilização de energia limpa, gerada por sistemas de captação solar ou eólica, por exemplo, nas futuras estações de carregamento.

O carregador instalado em Roseira é nacional, fabricado pela Weg.

O Use Elétrico respondeu pelo primeiro carregamento comercial de um veículo não ligado à Vibra ou à organização do evento de inauguração, na própria quinta-feira, 30/6, no começo da tarde. A reportagem saiu de São Paulo com um e-208 GT, gentilmente cedido pela Peugeot do Brasil para testes, e chegou a Roseira com 14% de bateria, equivalente a 32 quilômetros de autonomia. Em exata meia hora no carregador a bateria chegou a 81%, o que conferiu ao carro 254 km de autonomia, mais do que o suficiente para a viagem de retorno — a capital paulista fica a 182 km do posto. A entrega máxima de potência, nesse caso, foi de 85 kW. Status: aprovado.

“Nosso” e-208 (apelidado Simba) estreando comercialmente o carregador

5 comentários

  1. Parabéns à todos os envolvidos nesta iniciativa que chegou ao ponto de inflexão para a Mobilidade Elétrica no Brasil, em especial à ABRAVEi que luta desde o início para fazer acontecer aqui também a mudança global que passa pela transição energética e da mobilidade rumo a um futuro saudável, sustentável e limpo para nossos descendentes!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s