Pontos de recarga no Brasil vão quadruplicar até 2025, diz estudo da McKinsey

Número consta de pesquisa da consultoria sobre o futuro da mobilidade sustentável no País

O Brasil terá nos próximos três anos 12 mil pontos de carregamento público de veículos eletrificados. A previsão é da consultoria McKinsey, que realizou pesquisa sobre o futuro da mobilidade sustentável no País, divulgada pela 99.

Esse número representa mais do que o quádruplo do atual: segundo estimativa da ABVE, o Brasil tem hoje cerca de 2.800 carregadores públicos.

O estudo da McKinsey divulgado pela 99 aponta ainda que em 2040 haverá um total de 11 milhões de automóveis eletrificados em circulação no Brasil, o que representará 20% da frota circulante nacional.

Outro dado interessante apontado pela consultoria afirma que as empresas de transporte por aplicativo (e seus motoristas) deverão ser um dos principais líderes para a adoção de carros elétricos no Brasil: até 2040, 85% da frota de veículos por aplicativo deve ser elétrica, índice bastante superior ao estimado para carros de uso pessoal, 21%.

A pesquisa da McKinsey revela ainda que para quem faz uso intenso do carro, como é o caso de motoristas de aplicativo, o TCO (Custo Total de Propriedade) de um veículo elétrico deve se tornar equivalente ao de um automóvel a combustão muito antes daqueles que utilizam o carro para fins pessoais. Considerando veículos de entrada, com valores abaixo de R$ 200 mil, para quem roda mais de 150 quilômetros por dia essa equivalência deve ocorrer já em 2023. Para aqueles que dirigem cerca de 30 quilômetros por dia, porém, essa equiparidade deve ser alcançada somente em 2030, segundo calculou a consultoria.

Para Thiago Hipólito, Diretor de Inovação da 99 e Líder do DriverLAB, um centro focado em criar ações envolvendo os motoristas que trabalham para o aplicativo, “os dados do estudo mostram que estamos no caminho certo”. Ele cita a chamada Aliança pela Mobilidade Sustentável, que busca difundir os veículos eletrificados no Brasil. “Sabemos que o futuro da mobilidade elétrica depende de uma união de esforços de vários players do mercado, e é esse trabalho que estamos realizando.”

A Aliança conta atualmente, além da liderança da 99, com quatro empresas ligadas ao setor de energia (Enel X Way, Raízen, Tupinambá Energia e Zletric), duas montadoras, (BYD e Caoa Chery), duas locadoras (Movida e Unidas) e uma instituição financeira (Banco BV), entre outras.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s